Slow Food Europa: A nova estratégia da UE para a biodiversidade deve proteger as abelhas e os polinizadores

Enquanto esperamos que a Comissão Europeia apresente a Estratégia de Biodiversidade da UE para 2030 em março, o Slow Food Europa insta a Comissão a tomar as medidas necessárias para reduzir drasticamente o uso de pesticidas e a agricultura industrial para garantir a proteção dos polinizadores.

Em seu recente comentário sobre a nova estratégia, o Slow Food Europa chama também a atenção para os terrenos agrícolas, que se devem tornar “parte da solução, para enfrentar a crise da biodiversidade”, e exige que a UE apoie os agricultores na transição para a agroecologia.

As abelhas e os outros polinizadores são um pilar da biodiversidade; no entanto, o uso de pesticidas químicos para perseguir ganhos de produtividade agrícola colocou as abelhas e a biodiversidade numa crise sem precedentes. No ano passado, a FAO (Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura) informou que as espécies polinizadoras enfrentam taxas de extinção de 100 a 1.000 vezes superiores ao normal, devido ao impacto da atividade do homem. Ao mesmo tempo, a organização reconheceu que “a biodiversidade do planeta sofreu danos irreversíveis e catastróficos”.

Embora a União Europeia seja considerada referência quando se fala em sustentabilidade, a anterior Estratégia de Biodiversidade falhou em muitos de seus objetivos. A UE não conseguiu alcançar um compromisso político de alto nível e faltou coerência política para reduzir, localmente, a perda de biodiversidade, agravando a situação dos ecossistemas agrícolas e florestais.

O Slow Food Europa não tem dúvidas: a UE deve abrir caminho e orientar as políticas de proteção da biodiversidade, incluindo a proteção das abelhas e outros polinizadores. Esses insetos são essenciais para a agricultura e a produção de alimentos, já que cerca de 75% dos cultivos alimentares do mundo dependem da polinização animal.

Em janeiro, o Slow Food Europa aderiu à Iniciativa de Cidadania Europeia “Salvar as abelhas e os agricultores!”, que pode tornar-se um catalisador para a transformação da agricultura, orientando os agricultores rumo a um modelo baseado em princípios agroecológicos, promovendo a biodiversidade.

O Slow Food Europa, juntamente com outros grupos da sociedade civil, convida a Comissão a eliminar gradualmente os pesticidas sintéticos até 2035, a restaurar os ecossistemas naturais nas áreas agrícolas, e a apoiar os agricultores na transição para práticas agroecológicas e orgânicas. Se a iniciativa “Salvar as abelhas e os agricultores” conseguir um milhão de assinaturas até setembro de 2020, a Comissão e o Parlamento serão obrigados a considerar a possibilidade de transformar as exigências da campanha em lei.

Ajude-nos a alcançar o nosso objetivo: salvar abelhas e agricultores. Salvar a biodiversidade europeia.

Assine a iniciativa aqui: https://old.slowfood.com/save-bees-farmers/.

 

  • Did you learn something new from this page?
  • yesno