Slow Food na Rio+20

Durante a próxima Conferência das Nações Unidas Rio+20, a associação internacional Slow Food participará ativamente para a conscientização sobre o impacto da produção de alimentos na mudança climática e no desenvolvimento sustentável. O Slow Food acredita que o atual sistema alimentar desempenha um papel significativo na ameaça à saúde da Terra e de seus habitantes. Terra Madre*, uma rede mundial de pequenos agricultores, pescadores, artesãos, estudantes, chefs e especialistas, presente em 150 países e promovida pelo Slow Food, demonstra que a produção de pequena escala pode representar uma alternativa viável em escala global.

O governo brasileiro convidou o presidente do Slow Food, Carlo Petrini, para participar do Diálogo sobre Segurança Alimentar e Nutricional, um dos dez Diálogos de Desenvolvimento Sustentável que serão realizados pouco antes da Conferência, de 16 a 19 de junho. Os resultados destas sessões serão apresentados durante as mesas redondas da Conferência do Rio.

 O programa de eventos paralelos do Slow Foo, durante os preparos e na Conferência, convida moradores e visitantes a participar de atividades educativas – como oficinas e visitas a feiras de produtos orgânicos – de conscientização acerca do papel central do alimento no desenvolvimento sustentável.

O Slow Food também publicará um guia com 100 dicas sobre “alimentos bons, limpos e justos” que ajudará os moradores do Rio e milhares de visitantes da Conferência a descobrir alimentos, restaurantes e projetos locais. O guia dá sugestões de onde comer e comprar alimentos produzidos localmente e como descobrir os diversos projetos de agricultura urbana que estão crescendo nesta cidade vibrante.

“A Conferência das Nações Unidas de 1992 no Rio de Janeiro foi um momento histórico que conseguiu finalmente chamar a atenção do mundo inteiro para o desenvolvimento sustentável,” diz Carlo Petrini, presidente do Slow Food. “Passaram-se vinte anos e ainda não progredimos o suficiente para enfrentar os desafios propostos. Minha esperança é que a Rio+20 passe uma mensagem forte de unidade, na qual assumimos as nossas responsabilidades de cidadãos do mundo e nos comprometemos a participar ativamente da solução dos problemas que afetam a Terra e a comunidade global como um todo.”

A Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável – Rio+20 será realizada de 20 a 22 de junho, duas décadas depois do marco da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento. Cerca de cem chefes de estado e de governo, além de 50 mil delegados, participarão de um evento que definirá o futuro do meio ambiente e a subsistência de milhões de pessoas no mundo inteiro.

O Slow Food está presente no Brasil desde 2002 e hoje conta com 32 convivia e mais de 40 mil produtores envolvidos na rede. O Slow Food é uma organização internacional de base que luta por um mundo onde todos possam ter acesso a um alimento bom para quem consome, bom para quem produz e bom para o planeta. A organização conta com 100 mil associados no mundo todo, centenas de convivia (grupos locais) e comunidades do Terra Madre em mais de 150 países.

O Terra Madre e o Salone del Gusto serão realizados de 25 a 29 de outubro de 2012 em Turim, na Itália. O encontro mundial, expondo a extraordinária diversidade de alimentos de todos os continentes, une pequenos produtores e artesãos de todo o mundo que seguem os princípios da produção boa, limpa e justa.

O programa do Terra Madre inclui um encontro mundial bienal, encontros regionais/nacionais, um dia de ação global, e uma rede de projetos internacionais que envolve todos os setores do sistema alimentar. A rede representa a globalização positiva, dando voz àqueles que se recusam a aceitar uma abordagem industrial da agricultura e a padronização das culturas alimentares.

Saiba mais:
old.slowfood.com 
www.slowfoodfoundation.com 
https://old.slowfood.com/sloweurope/eng/83/climate-change 

  • Did you learn something new from this page?
  • yesno