Mestres queijeiros e produtores da Argentina e do Brasil em defesa das produções de leite cru no Cheese 2015

Cheese – o evento internacional dedicado ao queijo, de 18 a 21 de setembro de 2015 em Bra (Itália) – terá a participação de uma delegação da América do Sul.

Sábado, 19 de setembro, às 17 horas, na Casa da Biodiversidade, haverá um encontro com os produtores de queijos de leite cru da Argentina e do Brasil. Já há muito tempo, o Slow Food uniu-se aos produtores, em defesa dos queijos artesanais de leite cru na América do Sul. Cheese é uma oportunidade para promovê-los.

Durante o encontro, também será apresentada a Fortaleza Slow Food do queijo de cabra de Tucumán, na Argentina. Estarão presentes as produtoras Maria Antonia Brito e Elizabeth Noemi Medina, e a coordenadora Marta Nuñez. O objetivo da Fortaleza, criada recentemente em parceria com o Slow Food Faro Tucumán e graças à contribuição do FIDA, é apoiar e promover o trabalho dessas mulheres na produção de queijo de cabra de leite cru. 

Em toda a Argentina, diversas variedades vegetais (milho, abóbora, batata, quinoa) e animais (guanaco, lama, vicunhas) sucumbiram com a chegada das monoculturas. Há algumas décadas, o cultivo de soja geneticamente modificada foi introduzida na região, ocupando, hoje, segundo dados da FAO, mais da metade das terras cultivadas.

Soledad Barruti, jornalista argentina, autora do livro “Malcomidos: Como la industria alimentaria nos está matando”, escreveu: “Ao longo dos últimos dez anos, assistimos à perda da soberania alimentar, com expropriações e ameaças aos indígenas para que deixem suas terras, substituindo seus cultivos pela soja, e a um progressivo despovoamento dos campos”. O próprio Papa Francisco, durante a sua última viagem à América do Sul, denunciou as consequências devastadoras das monoculturas na Argentina: “Dói minha alma quando há desmatamento para plantar soja. Passarão dezenas de anos até que os bosques cresçam novamente.”

As produtoras da Fortaleza Slow Food decidiram continuar alimentando as cabras com pasto e frutas silvestres, e não com os produtos derivados da soja transgênica. A criação das cabras, inserida no ecossistema do bosque, permitiu, por um lado, a produção de um leite de alta qualidade organoléptica e uma fonte de alimento para as famílias; por outro, conseguiu proteger o território, impedindo o avanço das monoculturas extensivas no bosque.

Do Brasil, participarão do Cheese, Guilherme Ferreira, jovem produtor de Queijo da Serra da Canastra, produto da Arca do Gosto do Slow Food e Caio Bonamigo Dorigon, jovem ativista, estudante de gastronomia e coordenador da rede jovens do Slow Food Brasil.

Há mais de 50 anos, no Brasil, uma legislação rígida, criada para as grandes produções industriais, obriga grande parte dos pequenos produtores artesanais de queijo de leite cru a vender os seus produtos informalmente. Segundo a Emater (empresa de assistência técnica e extensão rural), quarenta por cento da venda de queijos de leite cru, no Brasil, é clandestina. Além disso, os 60 dias de amadurecimento obrigatórios por lei e a obrigatoriedade de usar mesas, formas e superfícies de aço inoxidável levaram a uma mudança substancial na qualidade e no sabor dos queijos. Os produtores de pequena escala não conseguem arcar com os custos das mudanças exigidas pela legislação, colocando, assim, em situação de risco uma tradição antiga, arraigada em muitos estados do Brasil, transmitida de geração a geração.

Durante o evento Cheese, será possível conhecer os queijos das comunidades de Tucumán e Serra da Canastra, descobrindo mais sobre suas histórias.

O programa completo dos eventos está disponível online: http://cheese.slowfood.com/en/

Para credenciamento de imprensa para o Cheese: http://cheese.slowfood.com/en/press/pre-accreditation-request/

Cheese 2015 é possível graças ao compromisso das empresas que acreditam no futuro do setor lácteo-queijeiro de qualidade. Entre elas, os Parceiros Oficiais: Consorzio Parmigiano Reggiano, Lurisia, Pastificio di Martino e Radeberger Gruppe Italia.

Cheese, o evento internacional bienal organizado pela Prefeitura de Bra e Slow Food, será realizado em Bra, na Itália, de sexta-feira, dia 18, a segunda-feira, dia 21 de setembro de 2015. Dedicado ao leite em todas suas formas, o evento levou à criação de uma rede internacional de produtores de queijo e produtores artesanais do setor lácteo, hoje em sua décima edição.

 

Para maiores informações, entre em contato com o Departamento de Imprensa do Slow Food Internacional:

Paola Nano, +39 329 8321285 [email protected]

Città di Bra: Raffaele Grillo – Elena Martini, +39 0172 438278, [email protected]
 old.slowfood.com –  www.comune.bra.cn.it

O Slow Food envolve milhões de pessoas que se dedicam e que defendem o alimento bom, limpo e justo: são cozinheiros, jovens, ativistas, agricultores, pescadores, especialistas e acadêmicos, em mais de 158 países. A rede conta com mais de 100.000 associados, reunidos em 1500 convivia (grupos locais) no mundo inteiro. Os associados contribuem ao movimento com suas inscrições, e com a organização de eventos e de campanhas. A rede conta ainda com mais de 2000 comunidades do alimento do Terra Madre, que praticam, de forma sustentável, a produção de pequena escala de alimentos de qualidade.

 

  • Did you learn something new from this page?
  • yesno